Notícias
06/04/2018
Sindirações reúne-se com representantes do GFLI
Fonte: Sindirações

São Paulo/SP - Nos dias 3 e 4 de abril o Sindirações recepcionou em sua sede a delegação europeia, corresponsável pela condução dos estudos de sustentabilidade voltados ao inventário e ciclo de vida das matérias-primas e demais insumos da alimentação animal produzida na União Europeia, nos Estados Unidos e no Canadá, além dos colaboradores da América do Norte, Joel Newman/presidente AFIA/American Feed Industry Association) e Melissa Dumont/Presidente ANAC/Animal Nutrition Association of Canada) que participaram remotamente nas discussões.

Ariovaldo Zani/Sindirações, Nick Majors/FEFAC, Roberto Betancourt/Sindirações, Nicolas Martin e Hans Blonk/GFLI

Ariovaldo Zani/Sindirações, Nick Majors/FEFAC, Roberto Betancourt/Sindirações, Nicolas Martin e Hans Blonk/GFLI

Os representantes do GFLI/Global Feed Life Cycle Assessment Institute, Nick Major (Presidente da FEFAC/European Feed Manufacturers Association), Nicolas Martin (Diretor Relações Governamentais/FEFAC e Secretário Executivo do GFLI) e Hans Blonk (Consultor Especializado/LCA na Europa), trataram de esclarecer ao staff do Sindirações e aos representantes brasileiros (EMBRAPA; ABIOVE; ABPA; ABIEC; FUNDAÇÃO ESPAÇO ECO; Beatriz Domeniconi/GTPS, Priscila F. Rocha/DMA/FIESP, João Shimada/EARTH INNOVATION INSTITUTE; Rodrigo Lima/AgroICONE; Natalia Furakawa/BASF; Alexandre Inácio e Zenaide Guerra/DSM; Maria Aparecida Iuspa/EVONIK; Stefan Mihailov/TROUW; Mario Cutait/M CASSAB), também presentes, como se baseia a metodologia para determinação do ciclo de vida/LCA e discutir a possível adesão do Brasil ao GLOBAL FEED LIFE CYCLE INSTITUTE/GFLI.

Ricardo Santin/ABPA; Fabio Trigueirinho, André Nassar, Cindy Moreira/ABIOVE; Bianca Nakamato/ABIEC e Bruno Caputi/Sindirações (ao fundo)

Ricardo Santin/ABPA; Fabio Trigueirinho, André Nassar, Cindy Moreira/ABIOVE; Bianca Nakamato/ABIEC e Bruno Caputi/Sindirações (ao fundo)

De acordo com Ariovaldo Zani/CEO do Sindirações: “O GFLI tem administrado um imenso banco de dados que correlaciona os insumos à sustentabilidade ambiental da cadeia produtiva de alimentos para animais, compilado considerado indispensável atualmente porque permite coletar, processar e comunicar dados ambientais do setor de forma técnica, confiável e transparente. Importante salientar, inclusive, que o GFLI conta com o apoio de dezenas de empresas e outras associações internacionais e já é reconhecido pelas autoridades da União Europeia, Estados Unidos e Canadá. Caso os representantes da cadeia produtiva considerem oportuno, o Brasil poderá tornar-se o quarto país/união a contribuir com as métricas e com o banco de dados. ”

Durante a exposição de argumentos dos europeus que incentivaram a participação brasileira no GFLI, o grupo brasileiro, capitaneado pelo Sindirações e assessorado tecnicamente pela Embrapa, registrou sua preocupação com o critério da “mudança no uso da terra” (Land Use Change/LUC), já que suas regras penalizam sobremaneira as emissões da agricultura brasileira. A impressão é que os estrangeiros se mostraram favoráveis à nova modelagem e convencidos principalmente por conta dos dados das emissões brasileiras e até da emissão negativa (captura de CO2 na integração reflorestamento com pecuária), apresentados pela EMBRAPA.

Rafael Vinas/Fundação Espaço Eco; Alexandre Berndt, Marília Folegatti, Marcelo Morandi, Renan Novaes/EMBRAPA, etc.

Rafael Vinas/Fundação Espaço Eco; Alexandre Berndt, Marília Folegatti, Marcelo Morandi, Renan Novaes/EMBRAPA, etc.

O interesse do Sindirações em posicionar a sustentabilidade da produção animal brasileira de forma adequada, converge com os resultados do ciclo de vida/LCA’s que inexoravelmente se tornarão compulsórios e decerto modularão a competitividade futura da agropecuária brasileira no cenário internacional.

O presidente do Sindirações Roberto Ignacio Betancourt, arrematou: “O evento foi um grande sucesso pois reuniu e informou toda a cadeia produtiva brasileira em torno de um objetivo comum de alta relevância. A indústria de alimentação animal agradece especialmente a Embrapa pelo apoio técnico e institucional pivotal, demonstrando a imensa capacidade nacional para trabalhar a questão de forma competente e crível. ”

color-logoO GFLI (Global Feed Life Cycle Assessment Institute) atualmente tem como membros a FEFAC, AFIA e ANAC, além das seguintes organizações: IFIF/International Feed Industry Association, IFFO/The Marine Ingredients Organization, FEAP/The United Voice of the European Aquaculture Production Industry, USB/United Soybean Board, USSEC/United Soybean Export Council, AIC/Agricultural Industries Confederation, BEMEFA/Belgian Feed Association, SNIA/ Storage Networking Industry Association, FEDIOL/Federation for European Oil and Protein Meal Industry, e as empresas, Ab Agri, AGRAVIS, Agrifirm, BASF, Cargill, Evonik, for Farmers, Nevedi, Nutreco, ADM, Alltech, CHS, Diamond V, ELANCO Animal Health, HI-PRO FEEDS, LAND O´LAKES/PURINA, Mosaic, NOVUS INTERNATIONAL Inc., Potash Corp., BioMar, SKRETTING, SjomatNorge e Blonk Consultants.

Comments are closed.

Associados