Notícias
12/04/2016
Sindirações realizou seminário sobre uso prudente de antimicrobianos
Fonte: Sindirações

Chapecó/SC – No dia 05 de abril o Sindirações realizou em parceria com a ABPA e outras entidades representativas do setor o Seminário sobre Uso Prudente de Antimicrobianos em Avicultura e Suinocultura, durante o XVI Simpósio Brasil Sul de Avicultura, evento tradicional realizado todos os anos em Chapecó/SC.

As próximas edições do supra mencionado Seminário serão realizadas em outras cidades brasileiras com intuito de melhor informar e esclarecer os responsáveis técnicos das agroindústrias, cooperativas e demais indústrias de rações e premixes sobre a importância do uso prudente e racional dessa ferramenta tecnológica para garantia do desempenho zootécnico.

050416abpa

Representantes do setor público, privado e acadêmico envolvidos na cadeia produtiva de proteína animal

O Vice-Presidente Executivo do Sindirações, Dr. Ariovaldo Zani, moderou os debates e comentou que na ocasião, especialistas do setor privado, público e acadêmico (Dr. Ariel Mendes/ABPA, Dra. Suzana Breslau/CPAA/DFIP/SDA/MAPA, Prof. David Barcellos/UFRGS e Prof. Marcos Rostagno/Purdue University) disponibilizaram informações acerca da legislação brasileira sobre uso de antimicrobianos, das exigências do mercado importador de aves e suínos brasileiros, da especificidade de drogas antimicrobianas utilizadas como preventivas e terapêuticas para aves e suínos, e também sobre os mitos e verdades da resistência antimicrobiana.

050416abpa_2

O Vice-Presidente Executivo do Sindirações, Dr. Ariovaldo Zani

O executivo do Sindirações arrematou: É razoável e permitido inferir que a restrição do uso de antibióticos em animais culminará em benefícios praticamente imperceptíveis, caso o uso de antibióticos nos humanos não venha ser controlado efetivamente. A afirmativa sustenta-se em fatos, já que a proibição do uso de antibióticos melhoradores de desempenho não revelou contribuição para a saúde pública na União Europeia, porque, desde então, a frequência de resistência bacteriana em humanos a diversos agentes não foi afetada e continuou ascendendo ao longo dos anos. Além disso, os dados epidemiológicos divulgados pelo Sistema Nacional de Monitoramento de Resistência aos Antimicrobianos/CDC têm demonstrado trajetória descendente na frequência de resistência bacteriana em humanos, apesar da manutenção do uso dos antibióticos melhoradores de desempenho na produção animal dos Estados Unidos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Digite aqui os caracteres que aparecem na imagem a acima

Associados