Notícias
10/06/2019
Antibióticos em pauta
Fonte: INC Magazine - Edição 3

“Uma discussão que abre espaço para uma série de opiniões relacionadas ao uso como aditivos melhoradores de desempenho de alimentos”

Em 19 de dezembro de 2018, o Ministério da Agricultura, Pecuária de Abastecimento (MAPA, Brasília/DF) emitiu consulta pública sobre a proibição do uso de antimicrobianos na alimentação animal, ato amparado em termos de Lei e considerado por organismos internacionais – Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização das Nações Unidas para Saúde Animal (OIE) e Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) – de importância frente a resistência aos antimicrobianos. “Trata-se de uma tendência global. As recomendações da OMS
e o posicionamento pela Tripartite OMS/OIE/FAO pedem urgência e prioridade aos países, para a proibição do uso de antimicrobianos importantes na medicina humana para a promoção de crescimento” explica o Coordenador-Geral de Medicamentos Veterinários (CGMV/DAS) do MAPA José Ricardo Lôbo.

De acordo com ele, a resistência aos antimicrobianos é um dos maiores desafios para a saúde pública, com importante impacto na saúde humana e dos animais. “O tema está sendo tratado no contexto mundial respeitando-se a abordagem de saúde única, trabalhando em conjunto a saúde humana, animal e ambiental”, destaca.

Desde 1998 o Brasil vem proibindo progressivamente o uso de diversas substâncias ou classes de antimicrobianos como aditivos melhoradores de desempenho dos animais. A Portaria 171/2018 trata da intenção de proibir os antimicrobianos importantes na medicina humana tilosina, lincomicina, virginiamicina, bacitracina e tiamulina para a finalidade de aditivo melhorador de desempenho. “Portanto, não se trata de uma proibição generalizada dos aditivos melhoradores de desempenho, pois há no Brasil outros antimicrobianos autorizados para essa finalidade, que não são classificados pela OMS como antimicrobianos importantes na medicina humana”, informa o Coordenador-Geral. Leia mais…

Para ler a matéria na íntegra clique sobre a imagem.

Por Arthur Rodrigo Ribeiro

Comentários encerrados.

Associados