Notícias
17/05/2012
Nutrição responsável – Site SustainAGRO

Prezados Colegas,

Vejam abaixo estudo “Nutrição Responsável Contribuindo com o Meio Ambiente” capitaneado pelo Sindirações citado na home Page do SustainAGRO (gerenciado pelo CIB – Conselho de Informações em Biotecnologia) e dirigida ao público da Rio+20.

Saudações,

Ariovaldo Zani
Vice-Presidente Executivo do Sindirações

Nutrição responsável

O QUE É: Uso de aditivos nutricionais na alimentação de suínos e aves

OBJETIVO: Ter animais mais saudáveis, com o mesmo desempenho e que eliminam menos resíduos no meio ambiente

COMO FUNCIONA: O mundo tem, atualmente, uma demanda cada vez maior pelo consumo de carne. Levantamento de dados feito pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura estima que, em 2050, será necessária 2,3 vezes mais carne de aves e 1,3 vez mais carne de porco para alimentar a população mundial.

Produzi-la para atender a demanda de forma nutritiva e segura é um dos desafios encontrados no setor de suínos e aves. A excreção excessiva de nitrogênio e fósforo, entre outros, no ambiente devido à criação intensiva desses animais é fonte cada vez maior de preocupação.

De acordo com estudo publicado na revista Nature, o excesso de tais substâncias na água leva a um aumento na quantidade de algas. Já no solo, o acúmulo de nitrogênio leva à perda de espécies vegetais.

A solução para mitigar essa excreção excessiva está na criação de uma dieta balanceada com aditivos nutricionais, que regulem melhor a saída desses nutrientes e, ao mesmo tempo, mantenham a saúde e a produtividade de aves e suínos.

Um exemplo viável é o programa Nutrição Responsável Contribuindo com o Meio Ambiente do Sindirações, conduzido em parceria com a Embrapa, Universidade de São Paulo e Universidade de Viçosa, que dita estratégias de otimização do desempenho simultâneas à redução da excreção ou perdas de nutrientes através de estudo em aves e suínos que justificou o uso de aditivos no ganho ambiental. Aminoácidos sintéticos, enzimas e micro minerais orgânicos adicionados à dieta foram capazes de garantir a ingestão diária, conversão alimentar e o ganho de peso com diminuição de até 30% na descarga de Fósforo, Nitrogê nio e outros elementos inorgânicos indesejáveis.

Os aditivos podem fazer parte da dieta desses animais mediante diversas tecnologias, a exemplo da suplementação de aminoácidos industriais, utilizando-se o conceito de proteína ideal (ingestão apenas da quantidade de aminoácidos necessários); a formulação de rações com base na digestibilidade ou na disponibilidade dos nutrientes; o uso de ingredientes com alta digestibilidade ou biodisponibilidade de nutrientes; e a utilização de aditivos, como enzimas.

O uso dessas estratégias levou a uma diminuição média na excreção de nitrogênio por frangos de 14,9%. No caso dos suínos, este valor ficou em 34,8%. Já a quantidade de fósforo diminuiu 36,5% e 37,8%, respectivamente.

O controle da emissão de nitrogênio ajuda ainda a regular a emissão de amônia, um fator muito importante no crescimento e na saúde dos porcos, aponta uma pesquisa da Embrapa.

Fonte: Site SustainAGRO
Data: 02/04/2012

 

 

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Digite aqui os caracteres que aparecem na imagem a acima

Associados